Gato Por Lebre.

Antes de postar o que vim postar, queria contar que há 15 anos, quando Clarice Lispector não tinha virado modinha (e depois virado anti-modinha) de internet, eu iniciava o início dos meus estudos para um trabalho escolar sobre ela. O trabalho não era sobre ela para a classe inteira, cada um tinha seu próprio autor pra estudar. A minha era – pra minha sorte – Clarice. Tenho ódio profundo por quem recita suas frases (com ou sem créditos) em bios de twitter. Clarice odiava ser pop, nunca quis. Ela dizia que seu grande trunfo era ser lida e entendida por poucos. Clarice ficou preocupada quando, ao escrever sua coluna pra um jornal, foi bem vista pela crítica. Clarice gostava de ser do contra, se estava agradando demais, não estava certo! Enfim, só escrevi tudo isso antes de postar o que vim postar pra explicar que não trouxe aqui um texto da escritora que diz “Liberdade é pouco, o que desejo ainda não tem nome.”.. Clarice é muito mais do que meia dúzia de frases feitas. Clarice é dona do texto que define tão bem um sentimento que estou tendo agora e queria compartilhar com vcs, posso? 

COMER GATO POR LEBRE 
Clarice Lispector
 

― Você já comeu gato por lebre?
Perguntaram-me devido a meu ar um pouco distraído. Respondi:
― Como gato por lebre a toda hora. Por tolice, por distração, por ignorância. E até às vezes por delicadeza: me oferecem gato e agradeço a falsa lebre, e quando a lebre mia, finjo que não ouvi. Porque sei que a mentira foi para me agradar. Mas não perdoo muito quando o motivo é de má-fé.
 
Mas a variedade do assunto está já exigindo uma enciclopédia. Por exemplo, quando o gato se imagina lebre. Já que se trata de gato profundamente insatisfeito com sua condição, então lido com a lebre dele: é direito do gato querer ser lebre. E há casos em que o gato até quer ser gato mesmo, mas lebresse oblige, o que cansa muito. Há também os que não querem admitir que gostam mesmo é de gato, obrigando-nos a achar que é lebre, e aceitamos só para poder comer em paz com tempos e costumes.Tenho mesmo vergonha é quando não aceito lebre pensando que era gato. (Há um provérbio que diz: é melhor ser enganado por um amigo do que desconfiar dele.) É o preço da desconfiança. Mas na verdade, quando aceito gato por lebre, o problema verdadeiro é de quem me ofereceu, pois meu erro foi apenas o de ser crédula. 
Estou gostando de escrever isso. É que várias lebres andaram miando pelos telhados, e tive agora a oportunidade de miar de volta. Gato também é hidrófobo.

bjo, pessoas!
 
(LISPECTOR, Clarice. A descoberta do mundo.)
Anúncios

4 Comentários (+adicionar seu?)

  1. @AnaPaula_merces
    jun 18, 2012 @ 19:44:17

    MTOOOOOOOO BOMM CRISS….ARRASA SEMPRE MEW,adoroooooooo!

    Resposta

  2. D' SOUZA, Kerson (@KersondSouza)
    jun 19, 2012 @ 00:13:24

    Parece Doideira, Mas Faz Sentido!

    Resposta

  3. Edilma Maria
    ago 16, 2012 @ 21:01:49

    Oi Criss estava vasculhando coisas na net e encontrei o link do seu blog. Ha-ha! Gostei do seu post, tem a ver o domínio do meu blog. Embora as postagens sejam sobre temas diversos. Muito bacana viu? bjus.

    Resposta

  4. vintage style wedding gown
    dez 27, 2013 @ 14:11:02

    Wow, this is very fun to learn. Maybe you have considered article marketing to magazines?

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: