16 de Maio. (ops, 17.)

Era uma vez eu. Mas não essa eu aqui, que vocês conhecem. Era uma eu diferente (a gente sempre é diferente da gente mesmo, quando a gente se olha de longe, né?). Essa outra eu estava numa época pós uma sequência de relacionamentos emendados e tensos. E essa eu, que eu era, conheceu o M (vou chamar só de M pra preservar e identidade dele, depois vocês vão entender o porquê). Lindo, sotaque encantador, olhos fortes. Eu diria perfeito, mas dizem que a perfeição não existe, e ele é bem real. Aliás, foi uma das coisas que me assustou quando conheci o M; ele era real. Eu poderia sonhar com um homem como ele, mas não podia aceitar que existisse. Deve ser por isso, e por mais um monte de coisas, na verdade, que eu fugi. Tive medo dele porque ele me chamava pra tomar sorvete enquanto os caras me chamavam pro motel. Tive medo porque ele me ligava no meio da tarde pra perguntar como eu estava, enquanto os caras me ligavam no sábado à noite pra perguntar qual a melhor balada. Tive medo porque eu estava ferida demais, cansada demais.. Já tinha apostado demais e perdido demais. Vocês que estão lendo provavelmente estão pensando o que eu penso hoje em dia sobre o M: que eu devia ter grudado no pescoço desse cara e estar lá, grudadinha, até agora. Mas na época eu fugi. Fugi do sentimento que ele tinha porque eu achei que não saberia corresponder. Fugi de alguém que me ouvia, que conhecia até meus defeitos e estava do meu lado. Fugi. E nunca vou esquecer aquela despedida, quando ele perguntou pra onde eu ia, o que eu ia fazer.. eu respondi sorrindo: vou, sei lá, pras estrelas! E ele disse a frase que ecoa em mim até hoje: “minha estrela vai atrás de outras estrelas..”  Hoje, M é casado e tem um filho lindo! Nos falamos raras e importantes vezes. Ele ainda me chama de amor. Não que eu ache que isso signifique o que significava antes, mas gosto de ouvir porque é ele. Porque depois de estar tão magoada com a molecagem de alguns homens, foi justo o homem que eu chamava de menino, que me ensinou que nenhuma guerra perdida dói mais que fugir do que temos de viver.

“vc me veio como um sonho bom
e me assustei
não sou perfeito..”

bjo, pessoas.

Anúncios

1 comentário (+adicionar seu?)

  1. Viviany
    ago 15, 2010 @ 16:49:58

    Oh! Criss, que sentimento mais lindo! Que bom que o guarda com vc ainda.

    Beijos =~*

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: