standing outside the fire.

Há dias tenho sentido uma saudade sem sentido dele. Engraçado porque, depois de tanto tempo longe, já me acostumei a não buscar mais sua mão fofa entre as minhas. Com o tempo, ficou só o vazio que aquele sorriso deixou e todas as coisas que, de repente, aqueles olhos não viam mais junto aos meus. Faz muito tempo. Tempo, aliás, suficiente pra que eu passasse por ali sem me dar conta. Sem que eu me lembrasse das noites que atravessamos conversando. Tempo pra que eu tivesse esquecido de quando ele encerrou o último set, eu disse que ele havia deixado de tocar minha música preferida e ele plugou novamente a guitarra, voltou pro palco e cantou aquela música pra mim. Tempo o bastante pra que eu desaprendesse a lidar com seu humor lacônico. Mas acontece que eu não desaprendi.. E acontece que hoje, voltando pra casa, passei em frente à casa dele. Há dois meses eu estive ali numa visita rápida de aniversário. Um beijo de oi, outro de tchau: eu tinha show e precisava viajar. Mas hoje, quando passei, vi a luz acesa. Conheço os hábitos da casa: era ele. Pensei em mandar uma mensagem no celular mas me contive. Cheguei em casa e ele estava online. Conversamos amenidades. O tempo nos leva pra longe de nós mesmos. Ele está diferente. Eu também. Mas lá no fundo, consigo ainda perceber a mesma essência encantadora de quando o conheci. Ele seguiu o rumo que escolheu. E eu estou longe desse caminho: “extremo” eu disse, “oposto” ele corrigiu. Não caibo nessa vida – pelo menos não essa eu que sou hoje – e esse ele de hoje sobra no meu caminho: “tenho saudade de você”, eu disse, “sinto demais sua falta”, ele falou. Entre nós, há mais obstáculos do que consigo contar nos dedos das mãos: “ou eu vou praí, ou tu vem pra cá”, foi a cartada final. Difícil lidar com isso. Difícil pra ambos. Ele não seria feliz aqui onde estou, nem eu onde ele quer ficar. Calei e me despedi. Afinal, cheguei agora de viagem e acordo cedo amanhã. A vida, sempre, continua.

Anúncios

2 Comentários (+adicionar seu?)

  1. manu
    maio 11, 2010 @ 07:44:46

    nossa, parece q c descreveu uma noite dessas q eu tive…. é difícil seguir em frente, mas depois q damos o primeiro passo seguimos o caminho, td parece mais ‘natural’ após algum tpo… estranho… bom e ruim ao msm tpo… apesar d sorvete d merda nao ser gostoso….

    Responder

  2. Mya
    maio 11, 2010 @ 13:36:49

    Alguém pode me explicar o motivo de eu não conhecer esse blog?? Era outro, não era? Tô passada.
    ______________________________________

    Uma das coisas que me conforta é saber que nenhum dos meus trechos trabalho-casa-academia-outroslugares passa pela casa ‘daquele’. Aquele que eu tb esqueci e tb converso amenidades. Aquele que tb não procuro mais o carinho e só vejo extremo-oposto…

    Criss criss… minha alma gema-de-ovo!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: